Painel Indústria 4.0 tratou de tecnologias para produção de calçados

Painel Indústria 4.0 tratou de tecnologias para produção de calçados

22/10/2021

A Semana do Calçado teve nesta quarta-feira (20) o "Painel Indústria 4.0: máquinas para calçados", ação realizada pela Abrameq. No evento, foi apresentado um guia de orientação para a maturidade tecnológica de máquinas e a Rede RS – Indústria 4.0, que tem o propósito de integrar esforços e recursos para alavancar a competitividade da indústria no Rio Grande do Sul, através do caminho para a Indústria 4.0.  
Inicialmente, Néstor Fabián Ayala, destacou que a Rede RS Indústria 4.0, que ele coordena, tem o objetivo de alavancar a competitividade da indústria gaúcha, através do caminho da indústria 4.0. Observou que 47 entidades participam, sem custo, em uma ação que tem o apoio de 40 empresas fornecedoras de tecnologias 4.0. Tem oito grupos de trabalho, com destaque para o grupo de desenvolvimento da indústria 4.0 para máquinas e equipamentos.
Esta rede tem um site: redeindustria40.com.br. 
A seguir, Carlos Artur Trein, diretor regional do Senai RS, apresentou o grupo que teve como objetivo elaborar uma proposta de roteiro para avaliar o nível de maturidade tecnológica das indústrias, desde o estágio de informatização até o nível de flexibilidade e de fazer adaptações para corrigir e otimizar ações sem intervenção humana. Informou que esta proposta agora será avaliada pela Abrameq e Abimaq, através de consultas às empresas associadas.
No momento seguinte, foram apresentados dois cases de empresas diferentes na sua relação com a indústria 4.0. 
Jakson Pires, da TMSA, que fornece equipamentos para movimentação de granéis sólidos, abordou a jornada da empresa na transformação digital, observando a sua evolução tecnológica, metodológica e cultural. Neste sentido, destacou que o engajamento é fator decisivo para que o processo ande. E alertou que a adoção de novas tecnologias normalmente ocorre de maneira desordenada, o que exige necessidade de correções, para que tudo evolua de maneira equilibrada.
O segundo case foi apresentado por Márcio Migliavaca, diretor da Rexfort, fabricante de máquinas para marmoaria e de armazéns verticais. Ele fez referência a alguns desafios e obstáculos, mas adicionou que, através da parceria com fornecedores, se pode construir as entregas almejadas. Exemplificou com hardwares que não conversam entre si ou que apresentam instabilidade neste processo. Acrescentou que um desafio é encontrar profissionais qualificados, porque nesta área a formação acadêmica está pouco orientada para a indústria. Outro desafio é a falta de preparo do usuário para a nova tecnologia, o que exige trabalho também para a sua qualificação.
Ao final, o vice-presidente da Abrameq, Marlos Schmidt, destacou a relevância da parceria com o cliente para o desenvolvimento de sistemas que efetivamente atendam aos objetivos de quem investe em indústria 4.0.
O painel em sua íntegra pode ser acessado através do endereço: https://bit.ly/2Z7jNG0.