Confiança do industrial gaúcho cresce em fevereiro

Confiança do industrial gaúcho cresce em fevereiro

02/03/2021

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS), divulgado nessa segunda-feira (1º) pela FIERGS, voltou a crescer em fevereiro, 0,5 ponto, para 62,8. Bem acima de 50 pontos, mostra que o setor continua otimista, após a queda verificada em janeiro. "A confiança elevada na indústria no mês reflete não apenas o forte e contínuo aumento na atividade desde maio do ano passado, mas, principalmente as perspectivas positivas dos empresários gaúchos. Mas as incertezas, sobretudo com relação ao auxílio emergencial e aos aumentos dos casos de Covid-19 e dos preços das matérias-primas, que reduziram a confiança em janeiro, seguem no cenário e podem voltar a impactar nos próximos meses", diz o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry, destacando que os empresários gaúchos estão mais confiantes que os brasileiros, pois o ICEI-BR, divulgado pela CNI, fechou em 59,5 pontos.

O ICEI-RS varia de zero a cem pontos e é composto pelos índices de Condições Atuais e de Expectativas. O primeiro caiu pelo segundo mês consecutivo em fevereiro, atingindo 58,2 pontos, ante 59,8 em janeiro. Mas continua com avaliação favorável, pois valores acima de 50 indicam condições melhores. A indústria gaúcha manteve a visão positiva sobre a economia brasileira, mesmo com a redução de 57,1 para 54,8 pontos no período. Em fevereiro, 37% dos empresários afirmaram que a economia brasileira melhorou, enquanto 17,9% tinham opinião contrária. A percepção sobre as próprias empresas também ficou menos favorável este mês: o Índice de Condições Atuais das Empresas recuou para 60 pontos. Foi 61,1 em janeiro.

Para os próximos seis meses, o otimismo dos empresários cresceu em fevereiro, com os indicadores em níveis bem acima de 50 pontos. O Índice de Expectativas atingiu 65,1 pontos, 1,6 a mais do que janeiro. Já o de Expectativas da Economia Brasileira cresceu 3,2 pontos, para 61,3 e refletiu a predominância do otimismo entre os industriais: 53,3%, contra 8,2% de pessimistas. Também foi disseminado o otimismo com relação ao futuro das empresas. O Índice de Expectativas subiu e 66,1 para 67,1 pontos de janeiro para fevereiro.

Comunicação da FIERGS