Entidades avaliam prorrogação de benefícios fiscais

Entidades avaliam prorrogação de benefícios fiscais

07/01/2021

O governo do Estado prorrogou os benefícios fiscais concedidos por meio de Créditos Presumidos Setoriais. As medidas seguem até 30 de junho. De acordo com a Secretaria Estadual da Fazenda, foram avaliados cortes parciais (entre 10% e 25%), mas, ao considerar as incertezas econômicas, os beneficíos foram renovados. Já as entidades do setor coureiro- -calçadista esperavam que a medida tivesse validade, ao menos, até o fim do ano. "O setor lamenta que seja apenas por seis meses e bem no momento em que se começa a comercializar para o segundo semestre", avalia o presidente- executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira. A Assintecal destacou o aumento da competitividade. "Acreditamos que essa medida deu à indústria calçadista gaúcha condicões de competir com outros Estados", diz a superintendidente, Ilse Guimarães.

Outras entidades ligadas ao setor acreditam que as medidas não são suficientes. "O que o Estado precisa é de uma substancial redução na máquina pública, com também expressiva diminuição da carga tributária total", afirma o presidente da Abrameq, André Nodari. "O mundo empresarial gaúcho viveu mais um capítulo da insegurança jurídica para quem decide empreender. Tivemos um pacote de medidas que mantém o modelo de aumentar impostos ao invés de reduzir o tamanho do Estado", observa o presidente-executivo da AICSul, Moacir Berger.

Jornal NH