Entidades pedem a reativação da cadeia coureiro-calçadista

Entidades pedem a reativação da cadeia coureiro-calçadista

31/03/2020

Preocupadas com a preservação de mais de 1,5 milhão de empregos na cadeia coureiro-calçadista, que é composta por empresas fornecedoras de insumos até a ponta do varejo, as entidades setoriais se mobilizam em busca de um posicionamento do Governo Federal quanto ao retorno seguro das atividades. As indústrias estão paradas desde o dia 23 de março, por conta da pandemia do novo coronavírus. A maioria decretou férias coletivas de até um mês. O manifesto é assinado pela Abicalçados, Ablac, Abrameq, Assintecal e CICB.

O texto enviado ao governo afirma que as entidades estão cientes de que as empresas precisam retornar ao trabalho como forma de sobrevivência e de redução dos impactos econômicos. Também são unânimes em reconhecer a gravidade do novo coronavírus e a necessidade premente de preservação da saúde dos trabalhadores.

"Portanto, é importante que, neste momento de crise, o Governo Federal, em sintonia com os governos estaduais, as autoridades sanitárias e médicas brasileiras, oriente o retorno das atividades de uma maneira segura e sustentável economicamente, atendendo pleitos já encaminhados via CNI", diz a nota.

O apoio à volta ao trabalho - em todos os setores - ecoou também nas redes sociais e empresários de diversas partes do Brasil se mobilizaram em carreatas para defender a medida. A ação ocorreu na última sexta-feira, 27. Em Novo Hamburgo/RS, o ato chegou a ser aplaudido por pedestres que circulavam no Calçadão Oswaldo Cruz.

Exclusivo Online