Acordo comercial entre potências pode beneficiar o mercado do couro

Acordo comercial entre potências pode beneficiar o mercado do couro

06/02/2020

Quem analisa os números divulgados pelo CICB já percebe que 2019 foi um ano de muito movimento no mercado. O lucro com a exportação, no ano, chegou em $1,1 bilhão de dólares. Um dos mercados mais visados é o Chinês, conta o Administrador de Empresas, Francisco de Assis Santos Junior, com 38 anos e aproximadamente 17 de experiência no ramo. "Esse mercado acaba se tornando algo muito técnico e demanda de profissionais altamente conhecedores do produto com de estratégias de negociação" observa Junior. Como vive na China por quase 13 anos e acompanha o mercado de perto realizando essas estratégias e negociações com o produto, ele consegue ver como esse mercado cresce a cada ano e que o couro é hoje um dos artigos mais comercializados.

"Tenho no meu histórico o recorde de vendas de $15 milhões, apenas no ano de 2015. Hoje a abertura de mercado é realizada não somente na Ásia e continuar crescendo com exportações é um objetivo. Queremos usar a matéria-prima produzida nos EUA e levar para a venda no Extremo Oriente", conta empolgado com o que pode fazer no futuro próximo.

Com a expectativa de uma demanda crescente de couros os maiores produtores mundiais - Brasil e Estados Unidos - tendem a se beneficiar do contínuo crescimento do mercado chinês para itens de luxo. O couro utilizado para os artigos classificados como premium tem valor agregado mais alto que todos os outros derivados do produto, fazendo com que o conhecimento técnico na hora da negociação faça total diferença.

Terra